PSOL poderá exibir vídeo em que Cabral elogia Álvaro Lins

Depois de punir o partido com a perda de duas inserções no horário eleitoral e proibir o uso da gravação, TRE-RJ volta atrás

iG Rio de Janeiro |

Depois de perder duas inserções esta semana por causa da exibição do vídeo em que o governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) elogia o deputado cassado e ex-chefe de Polícia Civil Álvaro Lins, o PSOL tem finalmente uma vitória. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) deu ganho de causa nesta quinta-feira (16) ao partido contra as acusações do PMDB relativas a sua propaganda.

Cabral, candidato à reeleição, teve três problemas com vídeos exibidos por seus adversários. O candidato Fernando Gabeira (PV) perdeu quase metade de seu programa por mostrar uma gravação em que o governador aparece xingando um jovem de otário. Há ainda na campanha do verde gravação de Cabral com os líderes milicianos Jerominho e Natalino Guimarães.

Álvaro Lins foi preso pela Polícia Federal em maio de 2008, acusado de formação de quadrilha, corrupção ativa e lavagem de dinheiro, e cassado pela Alerj.

"Ter, na Assembleia Legislativa, um deputado com a inteligência, com a vibração, a energia, o caráter de Álvaro Lins é fundamental para mim, como governador do Estado do Rio de Janeiro", diz Cabral no vídeo, que foi ao ar no programa do PSOL em 1º de setembro.

O TRE-RJ decidirá na próxima segunda-feira (20) como recompensará o candidato a governador pelo PSOL, Jefferson Moura, lesado pelas decisões anteriores. O problema é que o juiz ordenou a suspensão das inserções do programa de Moura antes do julgamento. O político socialista acusa Cabral de querer “censurar” seu partido.

“Foi uma decisão inédita no TRE-RJ e isso mostra que estávamos certos. Os juízes entenderam que não houve montagem, não truncagem e não houve ofensa ao governado”, afirmou Moura à Folha.com.

    Leia tudo sobre: Eleições RJPSOL"censura"propagana eleitoralTRE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG