PSDB entra com representação contra inserções do PT

O PSDB ingressou, no início desta noite, com representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em que pede a diminuição do tempo reservado à propaganda partidária do PT no primeiro semestre de 2011. Os tucanos acusam os petistas de terem feito "promoção pessoal" da presidenciável Dilma Rousseff (PT) nas duas inserções de 30 segundos veiculados ontem pela legenda nas emissoras de rádio e de televisão.

iG São Paulo |

O PSDB ingressou, no início desta noite, com representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em que pede a diminuição do tempo reservado à propaganda partidária do PT no primeiro semestre de 2011. Os tucanos acusam os petistas de terem feito "promoção pessoal" da presidenciável Dilma Rousseff (PT) nas duas inserções de 30 segundos veiculados ontem pela legenda nas emissoras de rádio e de televisão. Junto à representação, o partido impetrou pedido de liminar para que os anúncios sejam suspensos, ou seja, não sejam transmitidos amanhã e na próxima terça-feira, dias conferidos pela Justiça Eleitoral para a divulgação das inserções.

Nas representações protocoladas hoje, o PSDB alega que o teor das inserções partidárias "promove de forma clara o nome de Dilma, como a pessoa mais apta a dar continuidade às ações do atual governo". A legenda argumenta ainda que os anúncios fazem "clara comparação de governos" e sugerem que a continuidade do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva seria alcançada somente com a eleição de Dilma.

"A propaganda não trata de difundir programas do partido, mensagens aos filiados e tampouco sua posição em relação a temas político-partidários", destaca o PSDB. O ministro Aldir Passarinho Junior, que é o corregedor-geral eleitoral, é o relator da representação no TSE.

Na primeira inserção do partido, divulgada ontem, um carrinho é mostrado em ascensão em uma montanha-russa de um parque de diversão. Um locutor afirma que durante a gestão do PT "24 milhões de brasileiros saíram da miséria e 31 milhões passaram para a classe média". Ao chegar no topo da subida, a voz de fundo pergunta: "Quem você acha que pode fazer com que mais gente prospere na vida?".

Nesse momento, a imagem colorida se torna fosca e os vagões descem em alta velocidade. O locutor continua. "Uma pessoa que tem a mesma visão de Lula ou alguém que fez parte de um governo que aumentou o desemprego, os impostos e pouco reduziu a pobreza?" Em seguida, uma placa de proibido fazer o retorno é mostrada ao lado do slogan: "O Brasil não pode voltar ao passado."

Na segunda inserção, Dilma é mostrada elogiando o governo do presidente Lula. A presidenciável afirma que a administração do PT "sabe planejar e fazer". "Apoia as empresas brasileiras e promove o desenvolvimento de todas as regiões e o bem-estar de toda população", defende. Com um sorriso no rosto, a petista arremata: "É fundamental continuar nesse caminho." Em seguida, imagens de Dilma são mostradas na tela e um locutor entoa ao fundo: "O Brasil já encontrou um rumo certo. É hora de acelerar e ir em frente."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG