Presidente do PSDB-SP diz que não vê acordo entre os quatro postulantes tucanos nas eleições de 2012

selo

O presidente do diretório municipal do PSDB em São Paulo, Júlio Semeghini, disse hoje que o partido deve definir seu candidato à Prefeitura de São Paulo até março de 2012. Semeghini, que também é secretário estadual de Gestão Pública, afirmou que atualmente não vê chances de um acordo entre os quatro postulantes (Bruno Covas, José Aníbal, Ricardo Tripoli e Andrea Matarazzo). "Acho que dificilmente não teremos prévias. Um acordo é muito difícil, é praticamente impossível neste momento", admitiu.

Após evento em que o secretário estadual de Meio Ambiente, Bruno Covas, anunciou formalmente sua pré-candidatura , o presidente do diretório municipal defendeu as prévias como única forma de construção da unidade do partido. "As prévias podem dividir em outros partidos, no caso do PSDB não. Até já dividiu em tempos atrás, hoje não mais. Não há outro caminho, o PSDB amadureceu", avaliou o tucano. "Se a gente tirar esse direito (dos pré-candidatos disputarem as prévias), nós vamos desestimular e desmontar o partido na Capital e isto vai refletir no Brasil como um todo", completou.

De acordo com Semeghini, a escolha do candidato por meio de votação interna é um consenso entre os caciques tucanos. "O governador (Geraldo Alckmin) tem defendido que o melhor processo para a escolha são as prévias do partido. Desta visão, compartilham o (José) Serra, o Fernando Henrique (Cardoso), o senador Aloysio Nunes Ferreira e o Sérgio Guerra (presidente nacional da legenda). Existe uma grande unidade em que há muito tempo não se construía", afirmou.

O processo de escolha do candidato deve começar ainda nesta semana, com a definição dos militantes que terão direito à voto e dos critérios para as prévias. Os quatro pré-candidatos já foram referendados pela executiva estadual do partido e devem passar agora pela executiva municipal. As prévias devem acontecer entre dezembro e março. "Não estamos preocupados se o PT vai lançar candidato antes ou não. A gente quer estar muito unido", ressaltou Semeghini.

Renovação partidária

Serra, apontado pelo dirigente como um dos patrocinadores da união entre os tucanos, ainda precisa anunciar formalmente que não pretende disputar a eleição municipal para que o partido comece a debater as prévias. "Deixando claro que não é candidato, o partido se preparará para os novos desafios", afirmou Semeghini. Serra poderá se manifestar até um mês antes da realização das prévias.

Na avaliação de Semeghini, os pré-candidatos tucanos atendem ao critério da renovação partidária, substantivo em alta entre os partidos que lançarão candidatos em 2012. "Felizmente o PSDB não tem esse nome forte (apontado nas pesquisas), precisamos de renovação, todo mundo clama por ela neste momento. O PSDB precisa de novos candidatos", pregou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.