Protesto por imigrantes nos EUA termina com detenção de parlamentar

Washington, 1º mai (EFE)-. Ao menos 30 defensores dos direitos dos imigrantes, entre eles o congressista democrata Luis Gutiérrez, foram detidos hoje após um protesto no qual se sentaram em frente à Casa Branca, em Washington.

EFE |

Washington, 1º mai (EFE)-. Ao menos 30 defensores dos direitos dos imigrantes, entre eles o congressista democrata Luis Gutiérrez, foram detidos hoje após um protesto no qual se sentaram em frente à Casa Branca, em Washington. O ato teve como objetivo chamar a atenção para as reivindicações dos imigrantes, entre elas o pedido para que o presidente americano, Barack Obama, impulsione a reforma migratória no Congresso americano e interrompa as deportações de imigrantes ilegais. O protesto foi um dos vários atos em defesa dos imigrantes neste 1º de Maio, quando a comunidade imigrante dos EUA foi para as ruas de 70 cidades do país. Neste ano, o principal alvo das manifestações foi a polêmica lei do Arizona, que transforma imigrantes ilegais em criminosos. Em Washington, com o lema de "Todos Somos Arizona", milhares de imigrantes se concentraram em frente à Casa Branca. Alguns, liderados pelo congressista Luis Gutiérrez, permaneceram em frente à residência oficial. A Polícia obriga os coletivos que realizam protestos em frente à Casa Branca a estar em movimento; por isso, protestos sentados, como foi o caso hoje, não são permitidos. Os pouco mais de 30 ativistas, entre eles o legislador pelo estado de Illinois, foram detidos e levados para um furgão policial. "Não me importo de ir preso hoje, ou amanhã, se com isso conseguirmos promover a reforma. Os latinos não se deixarão derrotar, conseguiremos o que queremos", disse Gutiérrez, um ferrenho defensor da reforma migratória. "Preferimos que nos prendam antes que continuem abusando de nossa comunidade, de nossa gente", disse à Agência Efe o diretor-executivo da organização Casa de Maryland, Gustavo Torres, que liderou o protesto junto ao congressista. O recado que os ativistas quiseram dar a Obama com os protestos de hoje em todo o país é claro: é preciso impulsionar a reforma migratória, interromper as deportações que dividem famílias e barrar a lei do Arizona. "O presidente pode fazer isso. Foi por isso que votamos nele, foi por isso que em 2008 a grande maioria de nossa comunidade decidiu votar, porque ele nos prometeu que iria acabar com as batidas e que iria aprovar a reforma migratória no primeiro ano de Governo", disse Torres. Embora o Dia do Trabalho seja comemorado nos EUA na primeira segunda-feira de setembro, desde 2006, o 1º de Maio passou a ser um dia de reivindicação dos direitos dos imigrantes, que a partir daquele ano saíram às ruas por todo o país para pedir ao Congresso a legalização da situação dos mais de dez milhões de imigrantes ilegais em território americano. EFE pgp/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG