Promotora de MT pede proteção policial

Solicitação ocorre após ameaça feita por Valdemir da Silva, o `Quatro Olho¿, prefeito afastado de Novo Santo Antônio

Kelly Martins, iG Cuiabá |

A promotora da Comarca de São Félix do Araguaia (MT), Maria Coeli Pessoa de Lima, pediu proteção policial após receber ameaças de morte de um prefeito afastado do cargo por improbidade administrativa.

Ela é responsável pelas investigações contra o prefeito de Novo Santo Antônio, Valdemir Antônio da Silva (PMDB), que teria locado o próprio veículo pelo valor de R$ 72 mil para prestar serviços à Prefeitura.

A locação teria ocorrido entre os meses de janeiro a outubro de 2009. Nesta terça-feira, a promotora obteve liminar e a Justiça determinou o bloqueio de bens e o afastamento do prefeito por 90 dias. O vice-prefeito Geraldo Vitor de Freitas, conhecido como Negão (PTB),foi quem assumiu a vaga.

"Ele (prefeito) teria dito para diversas pessoas que iria fazer algo contra mim, caso saísse do cargo. Por isso, solicitei ao gabinete de segurança a proteção policial", frisa. 

A promotora conta que as ameaças começaram há um mês e foram relatadas por meio de depoimento de pessoas envolvidas na ação de improbidade administrativa.

Maria Coeli reforça ainda que não tem medo e que vai continuar apurando as três ações civis públicas que pesam contra o peemedebista, mais conhecido na região como Quatro Olhos. 

"O prefeito locou veículo próprio para prestar serviços à municipalidade. Tanto o processo licitatório quanto o contrato foram meios para desvio de recursos da prefeitura, objetivando beneficiá-lo", ressaltou.

As outras duas ações referem-se a pagamentos de empenho em nome de cinco moradores da cidade, entre eles, um servidor e dois policiais militares. 

O servidor público trabalha no setor de almoxarifado da Prefeitura e teve o seu nome utilizado para recebimento referente à prestação de serviços advocatícios, sendo que foi comprovado que o mesmo não tem curso superior.

"O prefeito utilizou de dados de terceiros para se apropriar do dinheiro público de forma descarada".

Segundo ela, o gestor utilizou ainda, o nome do mesmo servidor, com CPF´s de outras pessoas para receber diversos empenhos,pagamento de diárias, encontro de secretários de agricultura, viagem para Cuiabá e serviços prestados na secretaria de Saúde.

    Leia tudo sobre: Eleições MTEleições Promotora

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG