Procuradoria de GO tenta manter empréstimo da Celg

Estado apresenta defesa na Justiça para que seja mantida operação de R$ 3,7 bilhões visando o saneamento da companhia

Rodrigo Viana, iG Goiânia |

O Procurador Geral do Estado Anderson Máximo afirmou que entrará hoje com uma visando cassar a liminar da Justiça Federal que bloqueou o empréstimo de R$ 3,7 bilhões para a Companhia Energética de Goiás (Celg).

Máximo fez coro às declarações do secretário da Fazenda, Célio Campos, segundo o qual, sem o empréstimo a estatal passará por problemas financeiros piores e o Estado poderá não cumprir as metas fiscais para este ano.

A Justiça Federal deferiu parcialmente liminar do Procurador Cláudio Drewes, do Ministério Público Federal, e pediu que a Caixa Econômica Federal deposite a primeira parcela, de R$ 1,2 bilhão, em juízo.

"O trabalho da procuradoria é técnico e como cidadãos goianos temos que tentar salvar a maior estatal goiana. A situação é grave”, afirmou Anderson Máximo em entrevista à uma rádio local.

Já Célio Campos pediu a rápida resolução do problema. Segundo ele, o sucesso do próximo governo, de Marconi Perillo (PSDB), depende do resultado das ações do governo Alcides Rodrigues (PP).

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG