Preso político Guido Sigler é libertado em Cuba

Sigler era um dos dois presos políticos cubanos cuja libertação havia sido anunciada nesta sexta-feira em Cuba

EFE |

O preso político Guido Sigler Amaya foi libertado em Cuba e já se encontra em seu domicílio. Condenado a 20 anos de prisão durante uma onda de repressão contra 75 dissidentes em 2003, Sigler foi levado em uma viatura policial até sua casa, na localidade de Pedro Betancourt, na província de Matanzas, a 173 quilômetros de Havana.

No local, o esperavam seus familiares, vizinhos e ativistas do grupo opositor "Opção Alternativa", da qual é vice-presidente, indicou Óscar Sánchez Madan, membro da organização.

"Após sua chegada, agradeceu pelos esforços da oposição em favor de sua libertação e disse que a ditadura castrista devia cumprir os compromissos firmados para a libertação de todos os presos políticos, especialmente os do 'Grupo dos 75' e os de consciência", indicou Sánchez Madan.

A Igreja Católica cubana anunciou nesta sexta-feira a libertação de Sigler e de Ángel Moya, dois dos 11 prisioneiros de consciência do Grupo dos 75 que ainda estão presos e que rejeitaram o exílio na Espanha.

    Leia tudo sobre: Cuba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG