Wagner Rossi é indiciado por fraude e formação de quadrilha

Durante duas horas, Rossi foi interrogado e negou envolvimento nas irregularidades sobre suposto desvio de R$ 2,72 milhões

AE |

selo

A Polícia Federal indiciou nesta sexta-feira criminalmente o ex-ministro Wagner Rossi (Agricultura) por formação de quadrilha, peculato e fraude à Lei de Licitações. Durante duas horas, Rossi foi interrogado pelo delegado Leo Garrido de Salles Meira, que conduz inquérito sobre suposto desvio de R$ 2,72 milhões do Programa Anual de Educação Continuada (PAEC) para capacitação de servidores do ministério.

Leia também: Alvo de denúncias, ministro Wagner Rossi entrega carta de demissão

O ex-ministro negou envolvimento nas irregularidades que a PF aponta. A PF atribui a Rossi o papel de "líder de organização criminosa enraizada no seio do Ministério da Agricultura". Rossi disse que ministro não tem atribuição para acompanhar processos de licitação. Segundo ele, ministro tem "posição política, papel estratégico". 

Rossi foi o quarto ministro do governo Dilma Rousseff (PT) que perdeu o cargo. Ele caiu em agosto, mergulhado em uma sucessão de denúncias envolvendo sua gestão em tráfico de influência, falsificação de documento público, falsidade ideológica, corrupção ativa e distribuição de propinas a funcionários que teriam participado do procedimento administrativo que ensejou a contratação da Fundação São Paulo (Fundasp), mantenedora da PUC-SP. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo" .

Mais sobre a crise na Agricultura

Oscar Jucá Neto acusa corrupção na Agricultura
Irmão do líder do governo é exonerado da Conab
Ministro nega envolvimento com lobista
Dilma diz que confia em Wagner Rossi
Rossi promete 'mudança significativa' na Conab
Deputado diz que PMDB não vai se rebelar
Líder do PSDB diz que queda não sacia oposição
Não há rebelião na base, diz líder do governo

    Leia tudo sobre: Wagner Rossipffraudeformação de quadrilha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG