Votação na Câmara depende de acordo sobre bingos

Deputados vão analisar requerimento pedindo urgência na votação do texto que regulamenta jogo no País

Agência Estado |

A votação dos projetos em pauta na Câmara depende novamente da definição sobre o futuro da proposta que restabelece os bingos. Assim como ontem, os deputados irão analisar, no início da sessão extraordinária da noite de hoje, um requerimento pedindo urgência na votação do texto que regulamenta esse tipo de jogo no País.

Se o pedido for rejeitado, como aconteceu ontem, dificilmente haverá votações. "Se não votar os bingos, não votamos nada", afirmou o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força, após reunião dos líderes partidários. Na sessão ordinária, que deve terminar às 19 horas, os deputados tentarão votar ao menos uma das 11 medidas provisórias que estão na Casa.

Mas dificilmente isso ocorrerá porque o primeiro item da pauta é a polêmica Medida Provisória 501, que dobrou de tamanho por conta dos 12 artigos extras incluídos pela relatora da matéria, deputada Solange Almeida (PMDB-RJ). A medida dispõe sobre a prestação de auxílio financeiro pela União aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, no exercício de 2010.

Se o requerimento com o pedido de urgência para os bingos for aprovado no início da sessão extraordinária, os líderes partidários se comprometeram a votar o projeto que altera a Lei Kandir e, na sequência, o texto que regulamento os bingos e a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prorroga por tempo indeterminado o prazo de vigência do Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza.

Ainda assim, alguns deputados acham difícil que isso aconteça por conta do jantar que ocorrerá na noite de hoje entre a bancada do PMDB e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O evento tende a esvaziar o plenário, o que impediria as votações.

    Leia tudo sobre: congressopautavotações

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG