Votação do mínimo no Senado tem Tiririca e Paulinho da Força

Ex-palhaço recordista de votos tirou fotos, enquanto sindicalista levou bronca de José Sarney

Andréia Sadi, iG Brasília |

Andréia Sadi, iG Brasília
Paulinho da Força (PDT-SP) circulou pelo plenário antes da votação

A votação no Senado do reajuste do mínimo para R$ 545 nesta quarta-feira contou com a participação especial de dois representantes da Câmara. Os deputados Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca (PR-SP), e Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (PDT-SP), que votaram contra o governo, pelo valor de R$ 560, fizeram questão de dar as caras na Casa ao lado.

Recordista de votos na última eleição, Tiririca foi ao Senado, mas não desceu ao plenário, onde acontecem as discussões. O ex-palhaço preferiu ficar nas galerias, onde o público pode assistir às sessões. Ali, ao lado dos representantes das centrais sindicais que pediam reajuste para R$ 560, posou para fotografias e foi embora antes do fim da sessão.

Outra participação especial no Senado foi a de Paulinho da Força, principal voz da emenda que defendia o valor de R$ 560 na Câmara. Paulinho foi ao plenário fazer lobby no Senado antes da votação do mínimo. Cumprimentou um a um dos senadores e subiu à Mesa para cumprimentar o presidente da Casa, senador José Sarney (PMDB-AC).

Paulinho, no entanto, contou ao iG que levou uma bronca. “Ele ( Sarney ) estava bravo porque os manifestantes nas galerias estão de costas. Ele disse que é um desrespeito.” Paulinho, então, disse que respondeu a Sarney: “Presidente, eu não controlo todos ( os manifestantes ), só uma parte do pessoal”.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG