Roberto Peixoto foi acusado de esquema de superfaturamento e desvio de dinheiro federal

Em sessão extraordinária que durou mais de 13 horas, vereadores de Taubaté, a 140 km de São Paulo, decidiram manter o prefeito da cidade Roberto Peixoto (PMDB) no cargo.

Seis votaram contra a cassação e oito a favor, dos 14 vereadores da Câmara. Para que o prefeito perdesse o cargo, eram necessários 10 votos favoráveis.

Roberto Peixoto foi acusado de envolvimento em suposto esquema de superfaturamento e desvio de dinheiro federal na compra de merenda e na contratação irregular de empresas para fazer a distribuição de medicamentos.

A sessão que foi iniciada por volta das 13h de sexta-feira (12) se prolongou até as 2h30 deste sábado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.