Depois da cassação do prefeito e do vice, TRE decidiu que novo mandatário será escolhido pelos vereadores em votação aberta

Prefeito de Campinas, conhecido como Dr. Hélio, foi cassado no ano passado
AE
Prefeito de Campinas, conhecido como Dr. Hélio, foi cassado no ano passado
Os vereadores de Campinas, no interior de São Paulo, escolhem nesta terça-feira o novo prefeito da cidade. Será a primeira vez na história de Campinas que a Câmara Municipal vai eleger um prefeito. O novo mandatário tomará posse na quinta-feira e governará a cidade até o fim do ano.

Saiba mais sobre o caso:
Câmara de Campinas cassa mandato do prefeito Demétrio Vil
agra
Vereadores cassam mandato de prefeito de Campinas

Desde a cassação do prefeito e do vice-prefeito de Campinas , no ano passado, a cidade passou a ser comandada pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Pedro Serafim (PDT). Em dezembro, os vereadores aprovaram o impeachment de Demétrio Vilagra (PT) por causa da descoberta de irregularidades em contratos da prefeitura com a Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento de Campinas (Sanasa).

Vilagra, que era vice-prefeito da cidade, assumiu a prefeitura em agosto , após o então prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT) ser cassado por envolvimento em transações fraudulentas descobertas na prefeitura.

Por decisão do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), o prefeito será escolhido pelos 33 vereadores da cidade, em votação aberta. A sessão começará às 10h, com a presença mínima de um terço dos vereadores.

Leia também: PT foi conivente com corrupção em Campinas, diz secretário
Saiba mais: PT de Campinas pede expulsão do líder do governo, Cândido Vaccarezza

Após a abertura, os quatro candidatos terão até 30 minutos para defender a candidatura na tribuna, local de onde serão pronunciados os votos. Para que a votação comece será necessária a presença mínima de 17 parlamentares.

Segundo a assessoria da Câmara Municipal, estão concorrendo ao cargo os candidatos Arly de Lara Romêo (PSB/PCdoB), com Fernando Vaz Pupo como vice; Pedro Serafim (PDT) com Francisco Soares de Souza; Antonio Francisco, o Politizador (PMN), tendo José Muller Cruz Rodrigues de Oliveira como vice, e José Ferreira Campos Filho (PRTB) com Alessandro Henrique de Oliveira.

O vencedor será conhecido se conquistar maioria absoluta dos votos (17). Se isso não ocorrer, os dois candidatos mais votados seguem para um segundo turno de votação, que deve ocorrer ainda nesta terça-feira, e o escolhido será aquele que obtiver maioria simples de votos. Em caso de empate, é eleito o candidato mais velho, conforme prevê a legislação eleitoral.

    Leia tudo sobre: impeachment
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.