Velório de Alencar no hospital é restrito a convidados e família

Amigos não são autorizados a subir em andar que acontece velório do ex-presidente José Alencar

Nara Alves, iG São Paulo |

O velório do ex-vice-presidente José Alencar ocupa um andar inteiro do Hospital Sírio-Libanês e está restrito a médicos, família e convidados. Amigos de longa data que compareceram ao hospital para prestar a última homenagem ao ex-vice não foram autorizados a subir.

Um deles, o economista Alberto Chaibub de 81 anos, conversou com o iG e confirmou que não conseguiu subir para daros pêsames à família. Ele conta que Alencar é seu amigo desde a década de 70, quando Chaibub era um comerciante da ( rua ) 25 de março e comprava tecidos da empresa de Alencar.

“Vim prestar minha homenagem espiritual ao Alencar. Se eu pudesse conversar com a dama da noite assim como a gente fala com os anjos eu diria que esse homem merecia viver 100 anos”. Chaibub é autor do livro “O homem que nasceu para viver 100 anos, um retrato de José Alencar”.

Em agradecimento ao livro, o ex-vice enviou uma carta a Chaibub afirmando que a mensagem o estimulava “a continuar com redobrado otimismo e muita fé na providência divina, na luta em recuperação de minha saúde”. A carta assinada por Alencar é datada de dezembro de 2009.

Outro amigo que não foi autorizado a subir, Valter Franco tem uma "amizade sadia com Alencar", como ele mesmo define, há mais de 30 anos do ex-vice. Franco é industrial de Sergipe e compareceu para dar o último adeus ao amigo. “Vim aqui prestar uma homenagem da família Franco”.

Segundo ele, o ex-vice era “um amigo bom” que sempre frequentou a sua casa. Franco ainda contou sobre o último contato com Alencar. “Conversamos há um mês. Ele estava sempre confiante na família, nos amigos e no povo brasileiro. Recebi a notícia com muita tristeza como todos os brasileiros”.

    Leia tudo sobre: josé alencarmortehospital

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG