Empresários, parlamentares, governadores, ministros e outras autoridades compareceram ao Palácio do Planalto

Empresários, parlamentares, governadores, ministros e outras autoridades preencheram nesta quarta-feira o Salão Nobre do Palácio do Planalto, para o velório do ex-vice-presidente José Alencar . Na ocasião, prestaram homenagens ao empresário e elogiaram sua trajetória política.

“Acho que ele é exemplo para todos nós, em particular para mim, que como vice-presidente da República procuro seguir seu exemplo”
Michel Temer, vice-presidente da República

“Ele caprichou na alegria de viver. Passou por aqui e não perdeu a viagem. É um exemplo que se tornou uma unanimidade nacional”
Carlos Ayres Britto, ministro do Supremo Tribunal Federal

“Ele fez uma carreira política que veio de muito humilde até chegar à Presidência da República, que tantas vezes exerceu sempre com muita dignidade e muito respeito nacional”
José Sarney (PMDB-AP), presidente do Senado

“Ele deixa-nos um legado de patriotismo. De um homem que acreditou no Brasil e na vida”
Marco Maia (PT-RS), presidente da Câmara dos Deputados 

"Foi um colaborador altivo, sempre manteve suas opiniões com muita firmeza, mas sempre foi solidário ao projeto”
Eduardo Campos (PSB), governador de Pernambuco

"Sempre teve muita coragem para enfrentar os problemas. O problema o estimulava, não o entristecia. Era assim que ele agia na sua vida empresarial, política e pessoal. José Alencar foi uma figura humana fantástica"
Jaques Wagner (PT), governador da Bahia

"Foi um grande mineiro que fez tanto pelo seu Estado e pelo Brasil e que no final da vida nos deixou um exemplo de coragem, de devoção, de fé na sua luta contra o câncer".
Antonio Anastasia (PSDB), governador de Minas Gerais

"Estive algumas vezes no hospital para visitá-lo e nunca encontrei um doente ou um moribundo, mas um homem preparado para sair dali, com projetos, com alegria e muita confiança, é o maior legado que deixa a todos nós, a todos que enfrentam dificuldades na vida"
Aécio Neves (PSDB), senador

“Foi um exemplo de vida para todos os brasileiros. É uma perda irreparável para a Nação”
Valdir Raupp (PMDB-RO), senador

“Ele sempre foi muito direto e verdadeiro. Vai fazer falta. Espero que outros empresários aprendam a compartilhar as vidas pública e privada”
Aloizio Mercadante, ministro da Ciência e Tecnologia

“Ele sempre foi um homem suave”
Roberto Gurgel, procurador-geral da República

"Grande exemplo como político. Transcendeu seu papel com muito coração"
Romero Jucá, senador (PMDB/RR)

"Zé Alencar foi o passaporte para o governo Lula, principalmente para pequenos empresários e empreendedores. Com ele, (a campanha de 2002 de Lula) ganhou uma imensidade de brasileiros."
José Dirceu (PT-SP), ex-ministro da Casa Civil

"É uma pessoa que realmente vai fazer falta, que teve um papel importante na política."
Jorge Gerdau, empresário

"Sempre foi um homem que defendeu a Constituição e as leis. Prestigiou sempre o Judiciário. Foi um exemplo para todas as gerações"
Antonio Dias Toffoli, ministro do STF

"Ele foi um grande exemplo para todos, independentemente das divergências políticas, tinha personalidade. Sabia ser discreto, mas também ousado, por exemplo para pedir a queda dos juros. Ele fez isso com habilidade"
Alvaro Dias, senador (PSDB-PR)

“Ele tinha aquela característica de conquistar as pessoas. Não há quem não admire o José Alencar, quem não o considere uma pessoa qualificada"
Francisco Dornelles, senador

"Com sua lealdade, seu espírito público e democrático, José Alencar pode ser considerado a síntese de um Brasil que, nos últimos anos, reencontrou o caminho do desenvolvimento econômico, da pluralidade ideológica e do exercício pleno da cidadania "
Marcio Lacerda (PSB), prefeito de Belo Horizonte

"Ele sempre foi uma voz que levantou na questão dos juros. Mantendo as convicções dele, ele sempre foi um homem que jogou para a equipe. Trabalhou o tempo todo para o governo ter unidade"
Franklin Martins, ex-ministro da Secretaria de Comunicação Social

"Foi uma convivência de muitos anos com muita doação de ambos os lados. Dele, para todos os que dele cuidaram, e de nós, que dele cuidamos. As pessoas falam: ‘infelizmente, morreu pela doença’. Morreu, mas ganhou muitos anos de uma doença que talvez tivesse tirado a vida dele lá atrás"
Raul Cutait, cirurgião que integrou a equipe médica responsável pelo tratamento de Alencar

*Com informações da Agência Estado e Agência Brasil


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.