Valadares é convidado para Turismo para abrir posto para Dutra

Convite foi intermediado por ministro das Relações Institucionais. Do PSB, Valadares cederá vaga no Senado para presidente do PT

Adriano Ceolin e Andréia Sadi, iG Brasília |

O senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) foi convidado pela presidenta eleita Dilma Rousseff para assumir o Ministério do Turismo no lugar de Luiz Barreto, ligado ao PT de São Paulo. O convite teria sido intermediado pelo ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, em conversa no início da tarde desta terça-feira.

Num primeiro momento, Valadares foi cotado para ficar com o novo Ministério da Micro e Pequena Empresa, promessa de campanha de Dilma. Ele, porém, rechaçou a proposta para esta vaga. Segundo fontes do partido, ele teria dito ao presidente do PSB  que “não queria ser uma rainha da Inglaterra” e, a depender do ministério, prefere ficar no Senado. O Turismo então, passou a ser opção para Valadares, transformando o assessor de Dilma Alessandro Teixeira em alternativa para ficar com a pasta de Micro e Pequena Empresa.

Valadares confirmou ao iG que esteve com Padilha hoje, embora tenha investido na tese de que foi tratar de emendas da bancada de Sergipe."Estive com Padilha porque sou coordenador da bancada de Sergipe. Fui levar para ele a relação das emendas que ainda não foi empenhadas", disse ele. Valadares disse que não tratou do assunto de ministério com Padilha. "Assunto de ministério está sendo tratado pelo Eduardo Campos", afirmou. Padilha também negou que tenha falado sobre montagem de governo com Valadares.

O principal objetivo com a possível indicação de Valadares no Turismo é dar uma cadeira no Senado para o presidente do PT, José Eduardo Dutra. Ele é o primeiro suplente do senador do PSB. Com ida de Valadares para o ministério, Dutra fica com o lugar do socialista na Casa.

As articulações nesse sentido foram evidenciadas no mês passado, em entrevista concedida por Dutra ao iG . Mas, desde o início das negociações, o PSB deixou claro que uma indicação de Valadares teria de ser contabilizada na cota do PT, já que a operação teria Dutra e seu partido como beneficiários.

Agência Estado
Dutra abriu mão de disputar a eleição para coordenar a campanha de Dilma ao Palácio do Planalto
O presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, negocia a ampliação da participação do partido no governo Dilma. Ele elegeu como prioridade ficar com a pasta das Cidades, mas deve emplacar Fernando Bezerra na Integração Nacional.

Coordenador da campanha petista, Dutra forma o trio chamado por Dilma de “os três porquinhos”, composto ainda por Antonio Palocci, confirmado como ministro da Casa Civil, e José Eduardo Cardozo, cotado para assumir o ministério da Justiça.

Outras pastas

Para compensar o PT paulista, que perderá com a saída de Luiz Barreto do Turismo, Dilma articula a nomeação do deputado Vicente de Paula e Silva, o Vicentinho (PT-SP), para a pasta da Igualdade Racial. Ex-presidente da Central Única dos Trabalhadores, Vicentinho pertence à corrente majoritária petista Construindo Um Novo Brasil (CNB). Ele também histórico em defesa do movimento negro no País.

Como o iG informou mais cedo, Dilma acelerou a formação do governo. Hoje também foi feito o convite para Paulo Bernardo assumir o ministério das Comunicações. A nomeação precisa ser negociada com o PMDB do Senado, dono da pasta nos últimos cinco anos.

Para compensar a perda das Comunicações, o PT estuda entregar a pasta das Cidades para o PMDB. Com isso, perde espaço o PP. Desde 2005, a pasta é comandada por Márcio Fortes, cujo principal padrinho é o senador Francisco Dornelles (PP-RJ). Ele, porém, enfrenta resistência da bancada do PP na Câmara.

    Leia tudo sobre: ministériodilma rousseffnovo governo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG