Vaccarezza anuncia que não é mais líder do governo na Câmara

Deputado petista relatou reunião de mais de uma hora com presidenta Dilma Rousseff na qual foi comunicado da decisão

iG Brasília |

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), anunciou nesta terça-feira que deixou seu posto após conversa com a presidenta Dilma Rousseff , como havia antecipado a coluna Poder Online . Segundo o deputado, ainda não foi definido seu substituto. Seis nomes estariam sendo cogitados .

Poder Online: Vaccarezza acerta hoje com Dilma a sua saída

Assista:

"Conversamos hoje das 9h até às 10h20, tratamos de diversos assuntos do País. Ela, como sempre, me tratou de forma bastante gentil e informou que ela tinha tomado a decisão de fazer troca de lideranças", disse Vaccarezza.

Ele acrescentou que a presidenta havia pedido a ele uma sugestão de nome para substituí-lo na liderança do governo, mas que ele não daria. "Ela (Dilma Rousseff) está com uma visão clara da relação das forças no País, aqui na Câmara e no Senado."

O deputado disse que foi retirado de seu cargo, que ocupava desde janeiro de 2010, por conta da disputa política. "Você pode ser trocado por ser incompetente, por não ser leal ou por não ter base de apoio. Ou pode ter uma troca por razão política. A minha foi isso. Ninguém pode argumentar que o governo teve derrota na Câmara porque não teve. Quando divergimos da orientação do governo foi por sentir o pulso do plenário e achar que não dava para avançar", disse.

De saída: Vaccarezza: Dilma mexeu em time que estava ganhando

Ele disse não ter problemas com a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, apontada como uma das que trabalhou pela sua substituição. "Se a Ideli tem problema comigo é problema dela. Eu não tive e não tenho problema nenhum com ela."

Vaccarezza afirmou que agora pretende retomar discussões sobre propostas que a função de líder lhe impediu de avançar. "Sou da política. A vida não vai acabar para mim. Quero levantar uma série de debates, como a mudança da lei de licitações, a desburocratização e algumas questões das leis trabalhistas que precisam ser alteradas", disse.

"Também vou procurar alguns amigos deputados para constituir um grupo chamado Democracia e Desenvolvimento, para fazer aqui alguns debates contemporâneos como células-tronco, informática e biotecnologia."

Além de Vaccarezza, na segunda-feira, o líder do governo no Senado, Romero Jucá, foi substituído no cargo pelo senador Eduardo Braga (PMDB-AM) .

As mudanças efetuadas por Dilma na sua estrutura de coordenação política ocorrem depois da revolta peemedebista que resultou na derrota do governo, quarta-feira, durante a votação de Bernardo Figueiredo para presidente da Agência Nacional de Transportes Terrestres.

Com Valor Econômico

    Leia tudo sobre: vaccarezzadilma roussefflíder do governocâmara

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG