União Europeia se recusa a interferir em caso Battisti

Segundo o porta-voz da Comissão Europeia, Michael Mann, a divergência é 'puramente bilateral'

Agência Estado |

selo

A União Europeia não vai interferir em favor da extradição do ex-ativista de esquerda Cesare Battisti. A informação foi revelada ontem pela Comissão Europeia, braço executivo do bloco que reúne 27 países, em Bruxelas. Segundo a Comissão Europeia, a disputa jurídica em torno do ex-militante do grupo Proletários Armados pelo Comunismo (PAC) é problema bilateral entre o Brasil e a Itália.

A recusa reforça a manifestação oficial das autoridades do bloco em relação à decisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de não deportar o ex-militante, condenado na Itália por homicídio. Segundo o porta-voz da Comissão Europeia, Michael Mann, a divergência é "puramente bilateral". "Nada mudou em relação ao que já foi dito: a comissão da União Europeia não tem competência em matéria de extradição e não há acordo de extradição entre a União Europeia e o Brasil."

O pronunciamento é uma resposta pública às pressões exercidas pela Itália sobre Bruxelas para que se posicione sobre a decisão do governo Lula. Contrariado com a postura, o ministro das Relações Exteriores da Itália, Franco Frattini, protestou. "O caso é muito mais complexo e nós não podemos excluir, inclusive nas próximas horas, uma iniciativa europeia sobre a proposição da Itália sobre esta questão." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: união europeiacesare battisti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG