'Um pouco de insatisfação é natural', afirma Temer

Vice-presidente minimiza rusgas com o PT pela partilha dos cargos no segundo escalão do governo Dilma

Clarissa Oliveira, iG São Paulo |

Em meio aos esforços comandados pelo governo de Dilma Rousseff para conter a disputa entre PT e PMDB, o vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP) procurou minimizar as rusgas entre os dois partidos pela partilha do segundo escalão do governo. Temer negou que o PMDB esteja "reclamando" do espaço que conquistou na Esplanada dos Ministérios e afirmou que a montagem da nova administração será concluída de maneira "pacífica".

"Não há uma insatisfação como dizem. E, de qualquer jeito, isso é algo que não acontece só no PMDB. Acontece no PT, no PSB e em todos os partidos do governo", disse Temer, que passou o domingo em São Paulo e retornou a Brasília nesta segunda-feira, para participar das primeiras reuniões do novo governo. "No começo, um pouco de insatisfação é natural", completou.

A preocupação com o aumento da temperatura na relação entre o PMDB e o PT ganhou força no governo desde que a presidenta concluiu a montagem do primeiro escalão.

Nos últimos dias, Dilma mobilizou alguns membros de seu time de confiança para que administrem as demandas dos dois lados e evitem que cresça a briga por cargos nos ministérios e no comando das estatais. O Ministério da Saúde, que passa a ser comandado pelo petista Alexandre Padilha, é um dos focos da preocupação.

Dizendo não ver problema no andamento das conversas, Temer investiu na versão de que se trata apenas de um reflexo da "fama" de seu partido. "O PMDB perdeu espaço no ministério e ainda dizem que é um partido fisiológico. Mas acho que ainda vai levar algum tempo para perder essa fama."

    Leia tudo sobre: michel temerdilma rousseffnovo governo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG