Tuma Júnior admite tirar dias de férias

Em entrevista ao programa Brasil Urgente, da Bandeirantes, o secretário nacional da Justiça disse que pode tirar férias

iG São Paulo |

O secretário nacional da Justiça, Romeu Tuma Júnior, admitiu na tarde desta terça-feira em entrevista ao programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes, que pode tirar férias para se dedicar à sua defesa contra as acusações de envolvimento com a máfia chinesa em São Paulo. "Estou pensando seriamente a me dedicar exclusivamente a isso, (...) talvez pedir alguns dias de férias", afirmou.

Reportagens publicadas pelo jornal O Estado de S. Paulo mostram que gravações telefônicas e e-mails interceptados pela Polícia Federal (PF) ligam Tuma Júnior a Li Kwok Kwen, conhecido como Paulo Li e apontado como um dos chefes da máfia chinesa em São Paulo. Deflagrada em setembro de 2009, a Operação Wei Jin levou Li à prisão, junto com outras 13 pessoas.

"Diante do que está acontecendo, eu tenho que me defender e mostrar para a população que não cometi nenhum erro", disse. O secretário adiantou, no entanto, que pretende voltar ao cargo em breve. "Pode ter certeza que vou retornar de alma lavada".

Nesta madrugada, o secretário se reuniu com o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto. Ao sair do gabinete, Tuma Júnior não respondeu aos jornalistas sobre sua permanência na secretaria. "Estou trabalhando, crime organizado não tem hora. Eles não descansam, a gente também não pode descansar. Estamos trabalhando", disse. O secretário ainda informou que tem reunião "direto" com o ministro Barreto e que a "área onde a gente atua é muito delicada".

    Leia tudo sobre: Tuma JúniorRomeu Tuma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG