Tucanos criticam nova crise e pedem saída de Carlos Lupi

Aécio queixou-se da reação do governo a crises; Sérgio Guerra defendeu afastamento do ministro do Trabalho

AE |

selo

O senador e ex-governador de Minas Gerais, Aécio Neves , fez hoje muitas críticas ao governo petista da presidenta Dilma Rousseff e de seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva , e destacou a série de denúncias de corrupção que envolvem ministros e funcionários de alto escalão.

Entenda a origem da crise revelada pelo iG:
- Ministério do Trabalho entra na crise que atinge o Esporte

- PDT comandava ONG sob suspeita ligada ao Ministério do Trabalho
- Coordenador de contratos do Trabalho emprega mulher em ONG ligada ao PDT

Agência Estado
Para Aécio, governo só atua de maneira 'reativa' a denúncias de corrupção
"Para usar uma expressão da presidenta, o malfeito para este governo só é malfeito quando vira escândalo. Até lá, é bem-feito", disse Aécio, na chegada a um seminário organizado pelo PSDB, no Rio de Janeiro. "O governo age reativamente", criticou.

Aécio definiu o seminário de hoje do partido como a "largada para um novo momento do PSDB". Possível candidato à Presidência em 2014, Aécio disse, porém, que a discussão é sobre temas nacionais e não sobre eleições. E criticou o governo Lula por não ter "enfrentado contenciosos", como a reforma previdenciária e política.

O presidente do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE), defendeu o afastamento do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, depois das denúncias de corrupção no ministério . "Todos os que forem denunciados com lógica e sentido devem sair", afirmou.

O seminário reúne tucanos como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o governador Geraldo Alckmin e economistas como Pérsio Arida e Armínio Fraga. O ex-governador de São Paulo José Serra, que estava em viagem ao exterior, não deverá participar. Alguns tucanos, no entanto, brincavam que ele ainda poderia aparecer, "atrasado, como sempre".

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG