Senador tucano tem desviado das negociações em torno de seu nome, mas pesquisa ajudou a intensificar articulação

selo

Em busca de um candidato para disputar a Prefeitura de São Paulo, os tucanos aumentaram a pressão para que o senador Aloysio Nunes Ferreira mude o título eleitoral do interior para a capital paulista e concorra à eleição de 2012. O resultado da pesquisa Datafolha, divulgado ontem, mostrou que o senador é o candidato do PSDB com maior intenção de voto, depois do ex-governador José Serra. No cenário mais positivo para os dois, com o ministro Fernando Haddad (Educação) como nome do PT, Aloysio tem 10% das intenções de voto, e Serra 19% - eles ganham do petista.

Aloysio ficou em segundo lugar entre candidatos tucanos na pesquisa Datafolha, atrás apenas de Serra
AE
Aloysio ficou em segundo lugar entre candidatos tucanos na pesquisa Datafolha, atrás apenas de Serra

A informação que mais chamou a atenção dos tucanos foi a rejeição a Serra, que chegou a 32%. A senadora Marta Suplicy (PT-SP), que lidera a disputa em todos os cenários em que aparece, tem 30% de rejeição. No PSDB, o resultado torna ainda mais remota a possibilidade de o ex-governador embarcar na corrida.

Apontado como nome capaz de unir PSDB, DEM e PSD, partido a ser criado pelo prefeito Gilberto Kassab, Aloysio reiterou aos tucanos que, assim como Serra, não quer concorrer. Também se mostrou contrariado com as tentativas de fazê-lo "engolir uma candidatura goela abaixo". 

Embora haja a expectativa em setores do partido de que ele traga o título para São Paulo até outubro, o senador avisou que essa movimentação só serviria para aumentar as especulações envolvendo seu nome. Serra e Aloysio chegaram a ficar com relações estremecidas nestes últimos meses em razão da pressão para que o senador dispute a prefeitura. 

Tanto a ala serrista quanto o grupo do governador Geraldo Alckmin, com menor simpatia, o veem como um nome forte. Mas, apesar de os tucanos darem como certa a coligação com o PSD, caso o candidato seja Aloysio, não é fato que o prefeito apoiaria o PSDB num projeto sem Serra como cabeça de chapa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.