Ex-governador do Tocantins teve o mandato cassado por abuso de poder político nas eleições de 2006

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tornou inelegível o ex-governador do Tocantins e senador eleito Marcelo Miranda (PMDB). Ele foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa. O argumento dos ministros, que acompanharam parecer do Ministério Público (MP), foi que devido à cassação do mandato de governador o político deve ficar inelegível.

Miranda chegou a ter sua candidatura deferida pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), mas o MP recorreu da decisão e conseguiu reverter o quadro no TSE. Se quiser garantir sua vaga no Senado Miranda terá que recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Cassado em 2009 por abuso de poder político nas eleições de 2006, Miranda teve 340,9 mil votos em sua eleição para o Senado. Dos sete ministros do TSE, dois foram contrários à aplicação da Lei da Ficha Limpa em seu caso: Marcelo Ribeiro e Marco Aurélio Mello.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.