Tribunal de Justiça fixa prazo para juízes declararem bens em SP

Em comunicado publicado no Diário de Justiça, presidente do TJ-SP determina que magistrados entreguem declaração de bens e valores

iG São Paulo |

O Tribunal de Justiça de São Paulo publicou na quinta-feira no Diário de Justiça um comunicado que fixa prazo de 30 dias para que os magistrados que deixaram de apresentar suas declarações de bens e valores nos últimos cinco anos entreguem a documentação ao órgão. A determinação é do presidente do TJ-SP, desembargador Ivan Ricardo Garisio Sartori.

Leia também: Operações atípicas de juízes e servidores chega a R$ 856 milhões

Ontem, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) divulgou um relatório de movimentações financeiras de juízes e servidores do Judiciário que mostrou que há R$ 855,7 milhões em operações suspeitas entre 2000 e 2010. O órgão fez uma varredura nos dados financeiros de um universo de mais de 216 mil pessoas ligadas ao Judiciário, sendo que 3.426 pessoas tiveram movimentação considerada fora da rotina, as chamadas operações atípicas.

A Corregedoria Nacional de Justiça, órgão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), tem investigado a evolução patrimonial de magistrados que não apresentaram declaração de renda ou que foram denunciados nos últimos anos.

Também nesta quinta-feira, a corregedora-geral de Justiça, ministra Eliana Calmon, voltou a se defender das acusações de que teria promovido uma devassa nos rendimentos de juízes e servidores do Judiciário. Eliana Calmon enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) suas alegações no processo movido pelas três maiores entidades de classe nacionais que representam os magistrados para suspender investigações nas folhas de pagamento de 22 tribunais brasileiros.

(Com informações da Agência Brasil)

    Leia tudo sobre: JudiciárioEliana CalmonSTFSTJmagistradosTJ-SP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG