Tribunal Regional Eleitoral analisa contas de Braga e Vanessa, acusados por Virgilio Neto de comprar de votos

A pedido do Ministério Público Federal (MP) e da Polícia Federal do Amazonas (PF-AM) a Comissão de Análise de Prestação de Contas do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) está analisando as contas dos candidatos eleitos em 2010. O objetivo é apurar a denúncia de suposta fraude eleitoral feita pelo senador Artur Virgilio Neto (PSDB).

De acordo com as denúncias, a suposta fraude eleitoral, com a compra de votos através de cartões magnéticos, teria beneficiado os senadores eleitos Eduardo Braga (PMDB) e Vanessa Grazziotin (PCdoB), que fizeram parte da coligação liderada pelo governador eleito Omar Aziz (PMN). Virgilio perdeu a eleição para o Senado. A coligação negou a suposta fraude.

Cabos eleitorais

O suposto esquema eleitoral criminoso teria sido feito através da empresa AC Nadaf Neto. Ainda neste mês, vão ser entrevistadas pessoas contratadas pela empresa AC Nadaf Neto. O TRE quer saber se eles atuaram como cabos eleitorais na campanha do governador Omar Aziz e dos senadores eleitos Eduardo Braga e Vanessa Grazziotin.

A comissão vai checar ainda se a prestação de contas declaradas pelo comitê financeiro dos três candidatos. Como a diplomação será feita pelo tribunal no dia 17 de dezembro, o TRE tem até 8 de dezembro para julgar todos os casos pendentes. A empresa foi contratada para efetuar o pagamento dos 6. 851 cabos eleitorais, movimentado mais de R$ 8 milhões.

O Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) investigam uma compra de votos por meio do uso de cartões corporativos, a partir de uma denúncia, no dia 8 de outubro, feita pelo senador Arthur Virgílio Neto (PSDB). O processo tramita sob segredo de justiça. A PF ainda não concluiu a perícia dos documentos e computadores apreendidos na sede da Nadaf e no comitê de campanha de Omar Aziz.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.