Todos os presos pela PF na Operação Voucher são liberados

Os últimos 11 detidos em Macapá por suspeitas de fraude no Ministério do Turismo deixaram a prisão

iG Brasília |

Presos pela Polícia Federal na Operação Voucher na última terça-feira, os últimos 11 funcionários do Ministério do Turismo que permaneciam sob custódia no Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), em Macapá, foram liberados na madrugada deste sábado.

Sexta-feira à noite outros seis foram soltos, o primeiro deles foi o ex-deputado federal pelo PMDB e secretário de Programas de Turismo, Colbet Martins, que deixou a prisão por volta das 20h30. Em seguida, às 23h35, saiu o secretário executivo do Ministério do Turismo, Frederico Silva Costa , investigado por envolvimento em desvio de recursos na pasta. Frederico, que terá de se afastar do cargo, pagou fiança de R$ 109 mil para conseguir a liberdade e não quis dar entrevista. Já o ex-secretário-executivo do ministério e presidente da Embratur, Mario Moyses, só deixou a prisão às 2h45.

De acordo com a diretoria do Iapen, a operação de liberação dos presos foi “tranquila” e durou até 3h20, quando o último envolvido no escândalo foi solto.

Leia também: Jornal de Macapá divulga fotos de suspeitos na Operação Voucher

Dos 35 detidos pela Polícia Federal na última terça-feira, 18 foram liberados na quarta-feira. Na sexta-feira, os 17 funcionários e integrantes da cúpula que continuavam na prisão obtiveram habeas corpus, concedido pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1).

A operação Voucher, realizada pela Polícia Federal em conjunto com o Tribunal de Contas da União e o Ministério Público Federal, foi deflagrada para combater suposto esquema de desvio de recursos do ministério realizado por meio de emendas parlamentares.

A investigação sobre o esquema de corrupção na pasta começou em abril, após levantamento do TCU que apontou irregularidades no contrato firmado entre o ministério e o Ibrasil. A Polícia estima que foram desviados cerca de R$ 3 milhões na pasta.

    Leia tudo sobre: crise no tursimoMacapáprisãooperação voucher

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG