Presidente em exercício disse em reunião com ministros que o episódio com Palocci está 'superado e ficou no passado'

selo

O presidente da República em exercício, Michel Temer , tentou hoje minimizar o entrevero ocorrido entre ele e o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, na semana passada, quando os dois discutiram a votação do Código Florestal e Palocci ameaçou demitir os ministros do PMDB caso o partido votasse contra os interesses do Planalto.

Presidência da República
Antes de embarcar ao Uruguai, presidenta e vice tiveram uma rápida reunião na base áerea de Brasília
Durante reunião hoje com ministros, para tratar das mortes ocorridas em conflitos no Norte do País, Temer, tentando amenizar a polêmica, disse aos ministros, segundo relato de fontes do Planalto, que o episódio "está superado" e ficou "no passado".

Hoje, Temer e a presidenta Dilma Rousseff tiveram uma rápida reunião na Base Aérea de Brasília, antes de ela embarcar para Montevidéu, no Uruguai. No sábado, os dois já tinham conversado sobre o mal-estar por telefone. Do seu lado, o PMDB tenta contornar a história dizendo que o partido "tem compromissos com a presidenta Dilma" e apoia a presidenta. Lembra ainda que o PMDB hoje, ao contrário do governo anterior, quando era da base de apoio, é governo, já que tem um vice presidente eleito.

Apesar de ser o coordenador de todas as ações de governo, Palocci não esteve presente nesta reunião convocada por Temer a pedido da presidenta Dilma. A coordenação do tema ficou a cargo do ministro da Secretaria Geral, Gilberto Carvalho, que tem operado como um aparador de arestas neste episódio e tem repetido que problemas entre partidos são normais. "Coisas do casamento", tem repetido ele, esclarecendo que os problemas são contornáveis, como ocorre em toda relação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.