STF mantém arquivada ação sobre suposta compra de dossiê pelo PT

A coligação de Alckmin, então candidato a presidente, alegava que o PT queria ligar políticos do PSDB à máfia dos Sanguessugas

Agência Brasil |

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu manter arquivado o recurso que pedia investigação sobre suposta compra de dossiê pelo PT em 2006. A coligação Por um Brasil Decente (PSDB-PFL, atual DEM), que tinha Geraldo Alckmin como candidato a presidente, alega que o partido tinha como objetivo ligar políticos do PSDB à “máfia dos sanguessugas”.

O recurso do PSDB-PFL era contra decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A corte negou, em abril de 2007, o pedido de investigação sobre o caso. O TSE entendeu que não havia provas reais contra os suspeitos de participar da negociação. Segundo o tribunal, também não ficou demonstrado que o episódio tinha o potencial de prejudicar a candidatura de tucanos.

O recurso contra a decisão do TSE chegou ao Supremo em março de 2008. O pedido foi arquivado pelo ministro Joaquim Barbosa em março de 2010. Nesta tarde, em decisão unânime, os ministros acompanharam o entendimento de Barbosa.

    Leia tudo sobre: sanguessugasstfPtalckmin

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG