STF livra deputado do castelo de inquérito

Edmar Moreira, conhecido por ter castelo no interior de Minas em nome dos filhos, teve inquérito por apropriação indébita arquivado

Agência Brasil |

AE
Ex-deputado Edmar Moreira em foto de 13 de maio de 2010
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na quarta-feira, por unanimidade, arquivar inquérito contra o ex-deputado Edmar Moreira por apropriação indébita de contribuições previdenciárias. O político ficou conhecido por ter um castelo de R$ 25 milhões no interior de Minas Gerais registrado em nome dos filhos.

Leia também:
- Deputado do castelo ganha cargo em Minas e Anastasia minimiza

- Após repercussão, Edmar Moreira deixa diretoria de estatal mineira

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), feita em 2007, Edmar Moreira deixou de repassar ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) as contribuições previdenciárias dos funcionários de sua empresa de segurança. De acordo com o MPF o fato ocorreu entre 1997 e 1998, resultando na apropriação ilegal de R$ 384 mil, valor sem correção.

No recurso julgado na quarta, os ministros arquivaram o inquérito por entender que o político não poderia ser punido mesmo se pegasse a pena máxima para o crime, que é de cinco anos. Nesse caso, a prescrição ocorreria em 12 anos a partir do fato, e como Edmar Moreira tem mais de 70 anos, a prescrição cai pela metade.

O inquérito contra a mulher do político, que também é investigada, será baixado para a Justiça de primeiro grau.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG