Sob novo comando, PT desdenha crise na oposição e ironiza PSD

Diretório petista propõe resolução política redigida pelo novo presidente do partido, Rui Falcão

Ricardo Galhardo, enviado a Brasília |

A proposta de resolução política distribuída nesta sexta-feira aos integrantes do diretório nacional do PT desdenha a crise entre os partidos de oposição ao governo Dilma Rousseff e ironiza a criação do PSD. 

“Ainda sofrendo sequelas do último pleito e envolvidos em contradições internas, os adversários do PT e do governo Dilma fragmentam-se. O esvaziamento do DEM, desidratado pelo lançamento do PSD em formação (partido que se autodefine como ‘nem de centro, nem de direita, nem de esquerda’), acena para eventual fusão com o PSDB. Envoltos numa guerra de cúpula pelo comando do partido e às voltas com a debandada de seis vereadores paulistanos, os tucanos debatem-se à procura de um rumo para a oposição”, diz o texto de quatro páginas redigido pelo novo presidente do PT, Rui Falcão, que anda será submetido à apreciação do diretório nacional.

O alvo principal do PT é o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Diante do bom desempenho da economia, os petistas lembram que o tucano chamava de “neobobos” os opositores de sua política econômica . Além disso, o PT cita o artigo em que o ex-presidente disse que a oposição deveria priorizar o debate com a classe média.

“Em artigo que acendeu polêmica em suas próprias hostes, até seu patrono intelectual desistiu de dialogar com o povo”, diz o texto.

A proposta de resolução defende a política econômica do governo Dilma, diz que os riscos de volta da inflação são mais “propagandísticos” do que reais, e sugere que as medidas de controle fiscal não podem prejudicar o crescimento do PIB que, para os petistas, deve ficar entre 4% e 4,5% em 2011.

O texto diz ainda que as tentativas da oposição de criar uma crise entre Lula e Dilma fracassaram, preconiza o engajamento do partido na campanha pela redução da jornada de trabalho e determina a criação de uma comissão específica com o objetivo de apresentar uma proposta de reforma política –apontada como ´principal prioridade do PT—com a participação de Lula.


    Leia tudo sobre: ptpsdbrui falcão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG