Sindicatos são contra PSC ou PTB no Ministério do Trabalho

Planalto estuda Alex Canziani (PTB-PR) ou Hugo Leal (PSC-RJ) para ocupar posto que ao PDT desde 2007

Adriano Ceolin, iG Brasília |

Agência Câmara
Deputado do PSC-RJ tem chance de virar ministro do Trabalho
O movimento sindical posicionou-se contra a possibilidade de um dos deputados federais Alex Canziani (PTB-PR) ou Hugo Leal (PSC-RJ) ocupar o Ministério do Trabalho. Os dois nomes estão em fase de avaliação pela presidenta Dilma Rousseff . PSC e PTB apoiam qualquer um que seja escolhido, apesar de Leal ser o favorito por demais integrantes da base

A pasta do Trabalho é comandada desde 2007 pelo PDT, que mantém excelente relação com a Força Sindical. O presidente da central é o deputado Paulo Pereira da Silva (SP), que também comanda o diretório do PDT no Estado de São Paulo.

Além da Força, integrantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), que é ligada ao PT, também já se manifestaram contra os nomes de Leal ou Canziani. O descontentamento foi levado ao conhecido de Gilberto Carvalho, ministro da Secretaria-Geral da Presidência.

“A Dilma (Rousseff) não vai querer entrar em desarmonia com os sindicatos”, avalia um membro da CUT. “Ela é muito disciplina. Sempre foi. No fim das contas, não vai querer tirar o PDT do Trabalho”, completa o cutista.

No Congresso, porém, o nome sobretudo de Hugo Leal tem apoio da base aliada. Apesar de ser de um partido pequeno, o PSC, ele tem bom trânsito em diversas legendas, como o PMDB, o PP e o PT. “Todo mundo na Câmara quer o Hugo Leal”, conta um governista.

Palacianos e congressistas também avaliam que o PDT tem uma representação desproporcional no governo em relação a outros partidos aliados. A bancada pededista é formada por 26 deputados. Juntos PSC e PTB somam 40 deputados. "O PDT não dá mais", diz um deputado petista.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG