Setores do PR esperam declaração de independência do governo

Congressistas, sobretudo da bancada de deputados, querem que presidente do PR e ministro dos Transportes discurse

Adriano Ceolin, iG Brasília |

Agência Brasil
Líderes do PR esperam novo discurso de Nascimento contra o governo
Setores do PR esperam que o presidente nacional do partido, o senador Alfredo Nascimento (PR-AM), faça nesta terça-feira um discurso na tribuna do Senado para declarar a independência da sigla em relação ao governo Dilma Rousseff . Ele tem sido pressionado sobretudo pela bancada da Câmara.

“Ainda não falei com o Alfredo, mas ele já disse a algumas pessoas que deverá fazer esse discurso”, afirmou o deputado Luciano Castro (PR-RR), que é também vice-líder do governo na Câmara. Ele também cogita deixar esse cargo. “É uma situação difícil. Vou avaliar”.

Os desentendimentos entre a presidenta Dilma e o PR tiveram início em julho, com as demissões de Nascimento do comando do Ministério dos Transportes e de todos os diretores do Departamento de Infra Estrutura de Transporte (Dnit). Leia mais aqui sobre a crise no setor: 

O episódio foi apelidado de faxina. Dilma sempre rejeitou o termo. Ainda com o nome de PL, o PR chegou à pasta dos Transportes em 2003, no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ex-prefeito de Manaus, Nascimento tornou-se ministro em março de 2004. Deixou o cargo duas vezes para disputar o Senado (2006) e o governo (2010) do Amazonas.

Ao voltar ao Senado depois do recesso parlamentar de julho, Nascimento disse que deixou a pasta porque não teve apoio da presidenta e criticou o tratamento dado ao PR. “Eu não sou lixo . Meu partido não é lixo”, afirmou, referindo-se ao uso do terno faxina sobre as demissões.

Em seu lugar, assumiu o ministro Paulo Sérgio Passos, então secretário executivo, e filiado ao PR desde 2006. No mesmo dia do discurso de Nascimento, o senador Blairo Maggi (PR-MT) anunciou que a bancada do Senado não tinha o compromisso de apoiar o ministro Passos. Durante a semana, chegou a ser discutida a desfiliação dele do partido.

Apesar dos rumores, pessoas próximas a Nascimento disseram que ele ainda não preparou nenhum discurso. Com a exceção de Blairo, a maior parte da bancada do Senado ainda defende um alinhamento ao Palácio do Planalto acha que já foi suficiente a saída do partido do Bloco de Apoio ao governo formalmente comandado pelo petista Humberto Costa (PE).

    Leia tudo sobre: PRGovernoAlfredo NascimentoDilma Rousseff

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG