Serristas propõem rodízio para o comando do PSDB

Grupo liderado por Serra defende que haja um rodízio entre Aécio Neves e um representante deles para o comando

AE |

selo

Com o aval do ex-governador José Serra (PSDB), aliados deflagram uma operação para pressionar pela adoção de um rodízio na presidência tucana, numa tentativa de recuperar espaço dentro do partido.

Arte/iG
Serra lidera um grupo dentro do partido contra a reeleição de Sérgio Guerra para o comando do PSDB
A renovação do comando está marcada para o dia 28 de maio e, hoje, a tendência é reeleger o deputado Sérgio Guerra (PE). 

O grupo liderado por Serra está inconformado e insiste em implantar a rotatividade na presidência do partido: um ano, ficaria nas mãos de aliados do senador Aécio Neves (MG) e, no ano seguinte, com um representante dos serristas.

A ideia, defendida pelo governador paulista Geraldo Alckmin , ganhou força após Serra passar os últimos dois dias em Brasília.

É vista como uma solução com o fracasso das articulações para colocá-lo no conselho político a ser criado pelo PSDB.

No fim de semana passado, em reunião dos oito governadores do PSDB, em Belo Horizonte, foi aprovada proposta de criar um "órgão de assessoramento" que não disputaria espaço com a direção partidária.

Serra não gostou, porém, do formato idealizado, que deverá contar com 14 integrantes e ter no comando o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

O ex-governador disse a tucanos que o conselho, do tamanho que foi proposto, perderá eficiência e ficará sem sentido. Insatisfeitos com esse formato, os serristas avaliam que o conselho "morreu", uma vez que deverá ter efetivamente pouco poder de ação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: jose serrasergio guerrapsdbaecio neves

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG