Serristas avaliam que Chalita é aposta de Alckmin para vencer PT

Aliados do ex-governador de São Paulo duvidam do plano do Palácio dos Bandeirantes para formar quatro candidatos

Adriano Ceolin, iG Brasília |

Claudio Augusto
Chalita foi secretário de Educação do primeiro governo de Alckmin
Tucanos aliados de José Serra avaliam que o deputado federal Gabriel Chalita (PMDB) é aposta de Geraldo Alckmin, atual governador de São Paulo, para impedir a vitória de Fernando Haddad (PT) na corrida pela prefeitura paulistana.

Pessoas próximas a Serra não acreditam que o Alckmin esteja, de fato, empenhado em lançar o ex-governador para mais um mandato na Prefeitura de São Paulo _Serra comandou a cidade entre 2004 e abril de 2006 quando renunciou para disputar o governo do Estado.

Leia também entrevista com Gabriel Chalita: "Só aceito ser candidato a prefeito de São Paulo"

Ainda segundo avaliação de serristas, Alckmin deseja lançar um candidato tucano sem firmar aliança com o PSD, do atual prefeito Gilberto Kassab. Desse modo, não teria de amarrar um acordo para 2014, quando tentará a reeleição.

Há cerda de dois meses, Kassab sinalizou a possibilidade de fazer uma parceria com o PSDB para a prefeitura paulistana, desde que pudesse ser o candidato a vice de Alckmin em 2014. Na negociação, o PSD apoiaria Serra ou reivindicaria a cabeça de chapa.

Nesse caso, o candidato apoiado por PSDB e PSD seria Afif Domingos, atual vice-governador de São Paulo. Setores tucanos, porém, resistem. Há quatro pré-candidatos no partido: o deputado federal Ricardo Trípoli, e os secretários estaduais José Aníbal, de Energia, Bruno Covas, de Meio Ambiente, e Andrea Matarazzo, de Cultura. Dos quatro, Covas e Matarazzo aparecem como favoritos.

As prévias foram marcadas para março. Até lá, PSD e PSDB ainda vão insistir numa aliança contra o PT. Kassab, porém, tem dito que só abre mão da cabeça de chapa se Serra for o candidato.

Covas x Matarazzo

“Vai afunilar entre o Bruno e o Matarazzo”, avalia o deputado Mendes Thame (PSDB-SP), atual presidente da seção paulista Instituto Teotônio Vilella.

Matarazzo é mais próximo de Serra e Bruno Covas, de Alckmin. Um tucano experiente corrige: “O candidato do coração de Alckmin, na verdade, é Gabriel Chalita”.

Questionado, o pré-candidato do PMDB paulista critica a avaliação de serristas. “O problema é que eles pensam como se Geraldo fosse o Serra. É claro que temos muita afinidade, mas ele vai apoiar o candidato do PSDB”, diz.

Chalita foi secretário de Educação do primeiro governo de Alckmin. Em 2006, ele defendeu que o então governador fosse o candidato a presidente da República em vez de Serra. Alckmin disputou o Planalto e Serra concorreu ao governo de São Paulo.

Em passagem por Brasília ontem, Serra defendeu mais uma vez que o PSDB, PSD e DEM estejam unidos contra o PT. “Em São Paulo tem dois lados, o nosso e o do PT”, disse.

    Leia tudo sobre: Prefeitura de São Paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG