Serra evita Dilma e centrais no dia 1° de maio

Tucano acerta participação em evento evangélico em Santa Catarina. Em São Paulo, a candidata do PT será atração em festas da Força

Adriano Ceolin, iG Brasília |

selo

O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, deve ir a um evento evangélico em Santa Catarina no sábado (1), quando será comemorado o Dia do Trabalho. A campanha tucana quer evitar comparações com agenda trabalhista da adversária Dilma Rousseff (PT), em São Paulo.

 Em princípio, Serra estudou a possibilidade de ir a algum evento relacionado ao Dia do Trabalho na capital paulista. No entanto, foi orientado por sua equipe a mudar ideia por conta do tamanho das festas preparadas para Dilma pelas centrais sindicais. Ela poderá, inclusive, ser acompanhada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 Serra deve bater o martelo sobre agenda do fim de semana nesta quarta-feira. Segundo a senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), "faltam só alguns detalhes". O candidato tucano foi convidado para o 28º Congresso Internacional de Missões, que está sendo realizado desde 24 de abril em Camboriú, município catarinense que fica a 87 km da capital Florianópolis.

 O evento é promovido pela ONG (Organização não-governamental) “Gideões das Missões de Última Hora”, fundada no fim dos anos 1970 pelo pastor Cesino Bernardino. Instalada em 24 países, o grupo organiza do congresso de missões desde 1984. Este ano sespera contar com 170 mil participantes.

 O pastor Cesino Bernardino pertence à igreja Assembleia de Deus. Em 2002, a instituição apoiou Serra na disputa do segundo turno contra Lula. Outra força evangélica no país, a Igreja Universal do Reino de Deus ficou com o presidente na campanha de reeleição em 2006.

 Para este ano, os apoios ainda estão em fase de negociação. Evangélica assumida, a senadora Marina Silva, candidata do PV, tenta convencer as igrejas de que será competitiva. No caso da Universal, Dilma leva vantagem porque o PRB, partido ligado à instituição, irá mais uma vez se coligar com o PT.

 Dia do Trabalho

 A campanha de Serra decidiu levá-lo para Santa Catarina no Dia do Trabalho porque Dilma estará em São Paulo para um megaevento promovido pela Força Sindical. O presidente da central e deputado federal, Paulinho da Força (PDT-SP), afirma que haverá cerca de 2 milhões na Praça Campo de Bagatelelle, local da festa.

 Dilma também foi convidada para ir a uma festa da CUT (Central Única dos Trabalhadores), entidade fundada por Lula no começo da década de 80 e que é ligada ao PT. A campanha de Dilma comemora o fato de as duas centrais estarem unidas nesta eleiçõe. Isso porque a Força Sindical já apoiou os tucanos nos anos 1990.


    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG