Tucano diz que é "tolice" a presidenta da República e o ministro da Fazenda não discutirem decisão

José Serra comenta queda da Selic
AE
José Serra comenta queda da Selic
Acostumado a fazer críticas ao governo da presidenta Dilma Rousseff (PT), o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) resolveu elogiar hoje a decisão do Banco Central (BC) em baixar os juros 0,5 ponto percentual .

“Quer dizer que um BC só ganha credibilidade, ou a mantém, quando promove o aumento dos juros?”, escreve em texto publicado no seu site.

Ao contrário do que fizeram analistas do mercado financeiro e parte dos comentaristas de economia , Serra também defendeu que a presidenta Dilma Rousseff e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, tenham o direito de discutir decisões com a diretoria do Banco Central.

“Não vejo maior problema no fato de o ministro da Fazenda e de a presidente da República conversarem com o BC e expressarem seu pensamento. Isso acontece em todos os países do mundo. Alguém acha que nos Estados Unidos ou no Chile é muito diferente? , questiona.

"Por um acaso um presidente ou ministro é cassado quando se trata de expressar a sua opinião sobre juros? Isso é uma tolice. Expressar uma posição não significa impor uma decisão tecnicamente injustificável", comenta o tucano. 

A posição de Serra é coerente com que disse ao longo da campanha presidencial em 2010, quando foi candidato pelo PSDB ao Palácio do Planalto. Em maio do ano passado, durante entrevista à rádio CBN, ele respondeu irritado que o “BC não era Santa Sé” e que um presidente da República devia discutir política de juros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.