Sérgio Cabral divorcia-se da mulher Adriana Ancelmo

Informação foi confirmada pelo Tribunal de Justiça do Rio; assessoria do governador disse que não comenta sua vida pessoal

iG Rio de Janeiro |

AgNews
Cabral e Adriana Ancelmo já não viviam juntos desde o dia 16 de junho
O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, divorciou-se da mulher, a advogada Adriana Ancelmo, segundo informações do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ). De acordo com o TJ-RJ, a dissolução amigável do casamento foi julgada procedente pela 6ª Vara de Família na última terça-feira (5).

O Tribunal não deu mais detalhes do fato sob alegação de que o processo corre sob sigilo. Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa de Cabral informou que não comenta sobre a vida pessoal do governador.

Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo não vivem mais juntos desde o dia 16 de junho. Na ocasião, Cabral viajou para o litoral da Bahia na companhia do filho mais velho, Marco Antônio, enquanto que Adriana foi para Mangaratiba, no Sul Fluminense. Na época, Cabral chegou a consultar um amigo para saber se ele podia ficar em seu apartamento.

Durante a viagem de Cabral à Bahia, houve o acidente com um helicóptero em Porto Seguro que matou a jovem Mariana Noleto , de 19 anos, namorada do seu filho, e outras seis pessoas. Por causa do acidente, o governador tirou uma licença de sete dias

Agência O Globo
O governador Sérgio Cabral se separou da mulher, Adriana Ancelmo, na última terça-feira

Inferno astral

O fim do casamento é mais um capítulo do período turbulento vivido pelo governador desde o mês passado.

Em junho, Cabral enfrentou uma crise com os bombeiros , que invadiram o Quartel Central da corporação para reivindicar melhores salários.

Cabral chegou a chamar os invasores de "vândalos e irresponsáveis". Semanas depois, ele se desculpou e ainda sancionou a anistia administrativa para os militares.

Na mesma época, o governador também enfrentou problema com os professores que, até hoje, estão em greve.

O governador ainda foi questionado sobre o uso de um avião emprestado pelo empresário Eike Batista para que ele seguisse do Rio de Janeiro para o Estado da Bahia, onde participaria da festa do também empresário Fernando Cavendish, dono da Delta Construções.

Eike doou R$ 750 mil para a campanha de reeleição de Cabral. Já a Delta Construções faturou R$ 1 bilhão em contratos com o governo do Rio entre 2006 e 2011. Um quarto destes negócios foi feito com dispensa de licitação.

    Leia tudo sobre: sérgio cabraladriana ancelmo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG