Serei diplomata "momentaneamente", diz Artur Virgílio

Sem cargo público, ex-senador do PSDB pelo Amazonas se reapresenta ao Itamaraty

Nara Alves, iG São Paulo |

Sem cargo público, o ex-senador Artur Virgílio (PSDB-AM) se reapresentou ao Itamaraty no último dia 1º de fevereiro, após oito anos de oposição ferrenha ao governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Senado. Ao iG , Virgílio explicou que, como servidor público concursado, era seu "dever" voltar ao órgão. "Eu sei fazer duas coisas: política e diplomacia. Então, serei diplomata momentaneamente", afirmou.

Candidato derrotado ao governo do Amazonas, Virgílio diz que recusou "todos os convites para assumir secretarias, inclusive do governador Geraldo Alckmin (São Paulo), e todos os convites para estatais". Ele estuda se candidatar novamente nas eleições de 2012, mas não adiantou para que cargo concorreria.

Agência Senado
Artur Virgílio em foto de arquivo enquanto discursa no Senado (29/06/2010)

O ex-senador ainda está discutindo com o Itamaraty o que fará exatamente, mas afirma que não pretende trabalhar no exterior. "Meu filho está prestando ITA ( Instituto Tecnológico de Aeronáutica ) e me pediu para ficar", justifica. Mesmo na diplomacia, no entanto, ele garante que continuará trabalhando pelo PSDB em seu Estado.

Virgílio passou no concurso para o Itamaraty em 1976, mas está afastado do órgão há mais de 30 anos. Neste período, exerceu mandatos como deputado federal, prefeito de Manaus, secretário-geral da Presidência no governo de Fernando Henrique Cardoso e senador.

"Como servidor público, eu poderia pedir demissão ou licença. Mas fiz o que qualquer pessoa normal faria: ir trabalhar", disse. Virgílio ressalta que tem muitas críticas à condução da política externa pelo PT, partido da presidenta Dilma Rousseff , mas que isso não o impede de servir no Itamaraty. "O Celso Amorim ( ex-ministro das Relações Exteriores ) não é do PT? Então, eu sou do PSDB. Depois que ele entrou no Itamaraty, virou moda colocar a estrela do PT no peito. Então, por que eu não posso estar no Itamaraty e ser do PSDB?", questiona.

    Leia tudo sobre: Artur VirgílioPSDBItamaratyAmazonas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG