Senado segue esvaziado após crises, diz levantamento

Desgastado pelas crises em 2009, Casa decidiu hibernar e acabou esvaziada nas 18 votações nominais entre 10 de março e 11 de maio

iG São Paulo |

Desgastado por sucessivas crises em 2009, o Senado decidiu hibernar neste início de 2010 e acabou esvaziado nas 18 votações nominais realizadas entre 10 de março e 11 de maio. Segundo levantamento realizado pelo jornal O Estado de S. Paulo, a média de senadores que registraram votos é de apenas 46, de um total de 81. Ao todo, foram a plenário 17 matérias para confirmar indicação de embaixadores e ministros de tribunais superiores e uma para alterar uma resolução da Casa. E pouco mais da metade dos parlamentares tem comparecido e atuado efetivamente nesses primeiros quatro meses do ano legislativo. 

A votação do dia 20 de abril, que referendou Maria Elisa de Bittencourt Berenguer como embaixadora do Brasil em Israel, teve o menor quórum, com apenas 31 presentes. O maior, com 57 senadores, aprovou o nome do desembargador do Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE), Raul Araújo Filho, para ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ). 

Apenas um senador, Valter Pereira (PMDB-MS), votou em todas as matérias, e apenas um, Marco Fecury (PMDB-MA), teve zero participação - passou por cirurgia, está em licença médica e, segundo seu gabinete, volta dia 1.º de junho. Os demais ou não compareceram ou estiveram presentes mas não registraram voto ao menos uma vez. Assessores informaram que as faltas dos senadores têm sido justificadas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: senado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG