Sem presidente, CPI do DF deve ser encerrada

Relator tenta concluir seu parecer antes que, por falta de membros, CPI seja encerrada

Severino Motta, iG Brasília |

A CPI criada na Câmara de Brasília  para investigar as denúncas de corrupção no governo do Distrito Federal pode ser encerrada nos próximos dias. Uma das cinco vagas está aberta e nenhum deputado se prontifica a preenchê-la. O deputado Batista das Cooperativas (PRP), que se tornaria presidente da Comissão, foi acusado pelo delator do Mensalão do DEM, Durval Barbosa, de ter recebido dinheiro do esquema.

O clima de instabilidade levou o relator, Paulo Tadeu (PT-DF), a apressar seu a produção de seu parecer. Talvez ele seja fechado sem nem mesmo ter as manifestações, que devem ser enviadas por escrito à Câmara, dos citados no inquérito 650, que investiga o Mensalão.

“Meu medo é de a CPI morrer antes do seu final. Já estou fazendo o relatório para ter ele pronto caso surja essa surpresa desagradável [do encerramento prematuro da CPI]”, disse Tadeu.

Os deputados se reúnem na próxima semana para decidir se tentam dar algum tipo de sobrevida à Comissão ou a encerram e deixam as investigações somente a cargo da Polícia Federal e Ministério Público.

Criação

A CPI do Mensalão foi instalada em janeiro e não conseguiu desenvolver seus trabalhos. Deputados que eram ligados ao ex-governador José Roberto Arruda sempre atuaram para barrar as investigações.

A última manobra, defendida por Batista das Cooperativas e Raimundo Ribeiro (PSDB), foi a de tomar os depoimentos por carta, evitando que pessoas citadas no inquérito do Mensalão venham à Câmara prestar depoimento.

    Leia tudo sobre: cpimensalãodem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG