Sem PMDB, Dilma recebe manifesto de alianças no RS

Candidata do PT cumpre agenda no Estado uma semana após o principal adversário, o tucano José Serra, visitar a região

Andréia Sadi, iG Brasília |

AE
Dilma participa do Seminário "Rio Grande, Onde o Rio Grande Renasce"
O Rio Grande do Sul recebe nesta terça-feira a candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, uma semana após a visita do principal adversário na corrida presidencial José Serra (PSDB). Durante a viagem ao Estado, a segunda em menos de um mês, Dilma receberá um manifesto de alianças assinado por cinco partidos – PT, PSB, PDT, PCdoB e Pátria Livre. O PMDB, maior aliado nacional do partido, deve ficar de fora. O histórico na região é favorável ao tucano em relação ao PMDB gaúcho.

No sul, Dilma cumpre agenda com movimentos populares e vai à posse da nova Diretoria e Conselhos da Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul. À noite, no Clube Farrapos, participa de jantar com o comitê “pluripartidário”. Também será montada a pré-comissão que cuidará da campanha de Dilma no Estado. Cada partido terá direito a três nomes. A do PT será liderada por Olívio Dutra, ex-governador do Estado.

O PMDB foi convidado para o jantar, segundo lideranças locais, mas o partido de Michel Temer, cotado para vice de Dilma, não deverá comparecer. O pré-candidato do PMDB ao governo do Rio Grande do Sul é José Fogaça, que renunciou ao cargo prefeito de Porto Alegre. O PT já lançou o ex-ministro Tarso Genro (Justiça). Eles tentam evitar a reeleição da governadora Yeda Crusius (PSDB).

Como o PMDB não tem candidato à Presidência, Dilma e Serra querem o apoio de Fogaça, que seria o segundo palanque de um dos dois. Nas duas últimas eleições, o PMDB apoiou Serra, em 2002, e Geraldo Alckmin, em 2006.

No Rio Grande do Sul, o PMDB comanda 140 prefeituras. Só é superado pelo PP, que detém 149. No Estado, os pepistas devem ficar com a vaga de vice na chapa Yeda Crusius, que enfrenta diversas denúncias de corrupção desde o inicio do seu governo.

Roteiro sentimental

A viagem de Dilma não cumpre apenas roteiro profissional. A ex-ministra da Casa Civil procura priorizar visitas ao Estado para visitar a filha Paula, que está grávida de um menino. Na última viagem, Dilma acompanhou a filha em exames. O menino se chamará Gabriel e nascerá em setembro.

    Leia tudo sobre: Dilma RousseffPTeleições 2010PMDB

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG