Secretário e deputado são investigados por crime eleitoral no Rio

Justiça Eleitoral averigua suspeita de divergências nas declarações de bens entregues por Leonardo e Rafael Picciani

AE |

selo

A Procuradoria Regional Eleitoral no Rio de Janeiro (PRE-RJ) instaurou investigação para apurar se o secretário estadual de Habitação, Leonardo Picciani, que também é deputado federal licenciado, e o deputado estadual Rafael Picciani cometeram crime eleitoral ao registrar suas candidaturas em 2010.

A apuração foi aberta pela procuradora Mônica Campos de Ré em função de uma divergência de valores nas declarações de bens entregues ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Segundo a PRE-RJ, há uma diferença de mais de R$ 1 milhão na avaliação de 2.020 cotas da sociedade empresarial Agrobilara declaradas por Leonardo e Rafael Picciani.

A partir das informações prestadas à Justiça Eleitoral, a PRE-RJ vai investigar se os políticos cometeram os crimes de falsificação ou alteração de documento particular com fins eleitorais e de utilização desse documento falsificado ou alterado.

    Leia tudo sobre: eleições 2010Justiça Eleitoral

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG