Se houver sondagem, darei resposta consciente, diz Valadares

Senador eleito por Sergipe passou a ser cotado para o ministério de Dilma Rousseff

Andréia Sadi, iG Brasília |

O senador eleito de Sergipe Antonio Carlos Valadares passou a ser cotado para o ministério de Dilma Rousseff como uma forma de abrir caminho para o presidente do PT, José Eduardo Dutra, no Senado. Coordenador da transição da presidenta eleita, Dutra é suplente de Valadares. O senador, no entanto, disse ao iG nesta terça-feira que Dutra não o sondou sobre a questão porque “não tem autorização”, mas se houver abordagem ele dará “uma resposta consciente”. “ É a responsabilidade de um mandato. Fui eleito três vezes senador”, explicou Valadares à reportagem.

O sergipano não descartou assumir um cargo na Esplanada, mas disse que o eventual chamado será analisado. “ Dependendo do espaço que vier a ser concedido, vamos analisar com muito carinho, eu e o partido”, disse. O ideal era que o nome de Valadares fosse bancado pelo partido, o que não ocorreu. Na lista do partido, constam os nomes do deputado federal Márcio França e Fernando Bezerra, secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, para assumir pastas no governo.

Há algumas semanas, no entanto, a reportagem apurou que integrantes do PT procuraram Valadares com a proposta de indicá-lo para o Turismo, mas o assunto ainda não havia sido tratado ainda com o presidente nacional do PSB. Segundo fontes socialistas, Valadares gostou da ideia, mas o ministério acabou cedido para o PMDB. O senador negou ao iG qualquer convite ou recusa de cargo e disse que comunicou ao presidente do PSB, Eduardo Campos, que, qualquer negociação a este respeito seja feito pelo partido. “Não quero correr por fora. Mas, como não houve sondagem, Campos está sem trabalho”, brincou.

    Leia tudo sobre: dilmatransiçãogoverno

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG