Sarney passa mal, e será submetido a cateterismo neste domingo

O presidente do Senado está internado no Hospital Sírio-Libanês. Primeiros exames apontaram insuficiência coronária

iG São Paulo |

AE
O presidente do Senado, José Sarney
O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), 81 anos, será submetido a um cateterismo neste domingo, no Hospital Sírio-Libanês. Ele foi internado na tarde deste sábado (14), após ter se sentido mal na noite de sexta-feira (13), quando se preparava para dormir na residência oficial, em Brasília. 

Os primeiros exames – ecocardiograma e eletrocardiograma – detectaram "alterações compatíveis com o quadro de insuficiência coronária", de acordo com nota do hospital.

De acordo com o site do hospital, o cateterismo é "um exame invasivo que pode ser realizado para confirmar a presença de obstruções das artérias coronárias ou avaliar o funcionamento das valvas e do músculo cardíaco". Nesse caso, especialmente quando está sendo programada uma intervenção (angioplastia, por exemplo). Também pode ser feito "em situações de emergência, para determinar a exata localização da obstrução que está causando o infarto agudo do miocárdio e planejar a melhor estratégia de intervenção".

Neste sábado, o presidente do Senado viajou para São Paulo, onde era aguardado no Hospital Sírio-Libanês. A assessoria do hospital informou que o senador ficará internado até o final dos procedimentos médicos.

Segundo o boletim médico, Sarney chegou ao hospital por volta das 17h45 e foi recebido pela equipe médica e pelo cardiologista Roberto Kalil Filho, médico pessoal e responsável pelo tratamento contra o câncer pelos quais passaram a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No próximo dia 24, Sarney completará 82 anos. A idade, segundo amigos, tem acentuado seus problemas estomacais, sobretudo quando enfrenta conflitos pessoais e políticos. Como presidente da Casa, Sarney foi derrotado ao se manifestar contrário à criação da CPI do Cachoeira, encarregada de investigar a ligação do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, com políticos e agentes públicos.

Após estatização, Fundação Sarney está abandonada no Maranhão

O senador chegou a alertar ao governo que a apuração, cujos principais alvos atualmente são dois políticos da oposição - o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) - corre o risco de atingir aliados do Palácio do Planalto.

O secretário de Comunicação de Sarney, jornalista Fernando César Mesquita, informou que o presidente do Senado decidiu antecipar um check-up marcado para o dia 19, alegando que não estava se sentindo bem.

*com AE

    Leia tudo sobre: josé sarneysírio-libânessarney passa mal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG