Sarney defende Palocci e diz que assunto é pessoal

Para o presidente do Senado, o fato de Palocci ter enriquecido na iniciativa privada ao deixar o Ministério da Fazenda é natural

AE |

selo

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), saiu em defesa hoje do ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, que, segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo , multiplicou por 20 seu patrimônio em um período de quatro anos, incluindo a compra de um apartamento de R$ 6,6 milhões em 2010. Para Sarney, o assunto é pessoal do ministro. "Este é um problema pessoal, de ele empregar os recursos que obteve legalmente, segundo provado no Conselho de Ética, onde apresentou todos os documentos. É uma opção pessoal", disse o presidente do Senado.

Sarney afirmou ser natural que Palocci tivesse enriquecido ao deixar o Ministério da Fazenda, em 2006, por meio de atuação na iniciativa privada. "Todos aqueles que têm exercido cargos públicos na área econômica, eles adquirem uma soma de experiência e depois, através dessa soma de experiência, tem tido atividade na área privada. O ministro Palocci não fez nada mais do que isso."

O presidente do Senado destacou que cabe à Comissão de Ética Pública analisar a situação de Palocci. Sarney disse ainda que é uma decisão particular de Palocci a abertura ou não de dados da sua empresa, como a relação de clientes para os quais trabalhou.

    Leia tudo sobre: josé sarneyanotnio palocciministrosconsultoria

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG