São 'fatos graves' revelações da PF, diz Alckmin

Governador, porém, foi comedido ao comentar relatório da polícia: "Isso já está no Judiciário para decisão do Supremo"

AE |

selo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), classificou hoje como "fatos graves" as revelações do relatório final da Polícia Federal (PF), que supostamente confirma a existência do mensalão no governo Luiz Inácio Lula da Silva.

"O que a Polícia Federal coloca é aquilo que já tinha sido mais do que constatado. São recursos que foram desviados, depositados em contas bancárias", afirmou Alckmin, após participar de evento em Carapicuíba, na Grande São Paulo.

De acordo com o relatório, publicado pela revista Época do último fim de semana, a PF concluiu que o Fundo Visanet, com participação do Banco do Brasil, foi uma das principais fontes de financiamento do esquema montado pelo publicitário Marcos Valério.

O documento da PF, com 332 páginas, contradiz as intenções do ex-presidente Lula de provar que o mensalão nunca existiu e que seria uma farsa montada pela oposição.

Contudo, Alckmin foi comedido ao comentar o relatório. "Isso já está no Judiciário para decisão do Supremo Tribunal Federal", afirmou. "São fatos graves que agora cabe ao poder Judiciário se pronunciar", acrescentou.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG