Após reportagem do iG, Russomanno enviou documento a comissão solicitando remanejamento de emenda para duas outras entidades

Agência Estado
Russomano realocou recursos de emendas
O deputado federal Celso Russomanno (PP-SP) solicitou o remanejamento da emenda, apresentada ao Orçamento de 2011 da União, que destinaria R$ 1,1 milhão para o Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (Inadec), entidade não governamental presidida por ele e administrada em conjunto com familiares.

O caso foi revelado com exclusividade pelo iG na tarde desta quarta-feira. A prática é vedada pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Inicialmente, o deputado negou a irregularidade e chegou a ameaçar abrir um processo contra o iG caso a reportagem fosse veiculada. Ele alegou que mantinha o instituto, voltado para questões relacionadas à defesa do consumidor, com o salário de parlamentar.

Explicou que, como não havia sido reeleito, a forma encontrada de manter o instituto funcionando era por meio da emenda. Mas mudou de ideia. Em nova entrevista, Russomanno disse ao iG que redirecionou o R$ 1,1 milhão para ser dividido igualmente entre duas outras entidades: o Instituto do Coração (Incor) de São Paulo e a Faculdade Paulista de Medicina.

O documento com a solicitação foi enviado na tarde de hoje ao presidente da Comissão Mista de Orçamento (CMO), deputado Waldemir Moka (PMDB-MS). "A intenção era a melhor possível", afirmou Russomanno. "Às vezes você é colocado nessa vala comum de outras pessoas. Tem que gente que faz coisa errada, eu nunca fiz. Mas agora encerra-se esta questão".

O deputado assinalou ainda que, desde 1995, quando o Inadec foi fundado, a ONG realizou mais de 250 mil atendimentos. "São pessoas de baixo poder aquisitivo, que acabam na fila de órgãos públicos que não funcionam".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.