Rondônia registra abstenção maior no segundo turno

O TRE divulgou que 81.870 eleitores se não foram às urnas no primeiro turno, contra 89.007 no segundo

Menezes y Morais, iG Brasília |

O Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO) informou nesta segunda-feira que 89.007 mil eleitores justificaram sua ausência às urnas no segundo turno. Porto Velho, Candeias do Jamari e Itapuã do Oeste somaram 44, 94 % do total das justificativas recebidas no Estado, número que equivale a 40.007 justificativas.

O número de eleitores que justificaram o voto no segundo turno aumentou em relação ao do primeiro, quando 81.870 justificativas foram recebidas. Entre os 89.007 eleitores que justificaram sua ausência no segundo turno o TRE divulgou os depoimentos de alguns eleitores faltosos. Entre eles, os noivos Nicholas Thomas Pereira da Silva, de 28 anos, e Ana Carolina Montagner Bampi, de 24.

Busca de trabalho

Thomas e Ana Carolina moram a seis meses em Porto Velho. O casal mudou em busca de trabalho. E tão logo se estabilizem, fará a transferência de seus títulos eleitorais. Outra eleitora entrevistada pela assessoria do TRE foi Clarice da Rosa Puppenthal, de 30 anos. Clarisse veio transferida de Cerejeiras para Porto Velho, a trabalho, faz quatro anos.

“Tenho esperança de voltar para minha cidade, e por não saber se iria ficar não mudei meu título, porém vou transferir para as próximas eleições,” disse ela. O TRE ressaltou “a importância de que todos os cidadãos residentes em Rondônia, migrantes de outras regiões do país, procurem o Cartório Eleitoral mais próximo."

Neste caso, os interessados devem levar documento oficial de identificação e um comprovante de residência atual (originais e cópias).” O Tribunal acrescenta: “com esse simples procedimento, nas próximas eleições, todos poderão exercer o direito ao voto e participar ativamente do processo democrático do país.”

Transferência

De acordo com o TRE, o tempo médio de atendimento para transferir o título é de cinco minutos. É gratuito. O eleitor pode requerer nova transferência sempre que mudar seu domicílio eleitoral, “desde que respeitado o transcurso de um ano do alistamento ou da última transferência e a residência mínima de três meses no novo domicílio eleitoral.”

    Leia tudo sobre: política

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG