Reunião termina sem acordo sobre cargos na Mesa do Senado

PSDB defende que critério para formação das Mesas seja baseado no tamanho das bancadas

Agência Brasil |

Terminou há pouco, sem consenso, a reunião entre líderes da base governista e da oposição para o preenchimento dos cargos da Mesa Diretora do Senado e das presidências das comissões permanentes. O DEM reivindica a presidência da Comissão de Agricultura, uma suplência na Mesa Diretora e a administração da Ouvidoria da Casa. O PSDB propôs a troca da Comissão de Infraestrutura, que lhe é de direito por deter a terceira indicação para a escolha das comissões, por duas outras.

Os líderes da base aliada se reunirão, agora, para analisar as propostas apresentadas pelo DEM e PSDB. O líder do PT, Humberto Costa (PE), confirmou que ainda não há acordo. "O problema é que o PSDB só abre mão da Comissão de Infraestrutura se tiver mais uma comissão. Lideranças devem retomar as discussões já com um posicionamento das respectivas bancadas.

O líder Álvaro Dias (PSDB-PR), afirmou que "o PSDB quer o respeito ao tamanho da sua bancada". Com base no critério da proporcionalidade, no qual o número de indicações depende do tamanho de cada bancada, os tucanos teriam o direito de fazer a terceira escolha. Pela ordem de importância das comissões, essa indicação seria para a Comissão de Infraestrutura.

É com base nesse critério que o PSDB deseja trocar com os aliados governistas a Comissão de Infraestrutura por duas outras comissões. Se a base aliada aceitar, terá que abrir mão da presidência de uma das comissões que caberiam aos partidos governistas. Segundo Álvaro Dias, a bancada do PSDB se reunirá antes da retomada das negociações para decidir as comissões que deseja comandar.

    Leia tudo sobre: Câmaramesa diretoracomposição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG