Réu no mensalão, Genoino pode integrar governo Dilma

Ministro da Defesa, Nelson Jobim convidou o petista, que, segundo ele, pode ajudar muito por sua capacidade de 'dialogar'

iG São Paulo |

agencia brasil
O ex-deputado petista José Genoino recebeu convite para ser assessor especial do Ministério da Defesa
Réu no processo que corre no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o escãndalo do mensalão, o ex-presidente do PT José Genoino vai integrar o governo da presidenta Dilma Rousseff . O convite foi feito pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, que confirmou nesta sexta-feira o interesse em ter o petista em sua equipe de assessores.

De acordo com o ministro, que concedeu entrevista a emissoras de rádios, em Brasília (DF), a presença de Genoino seria importante por sua "capacidade de circular e de dialogar".

“Eu havia conversado com o Genoino no ano passado. Ele me disse que iria examinar o assunto, mas ainda não me deu uma resposta. Entendo que ele pode trazer uma grande colaboração ao Ministério da Defesa e sua presença seria importante porque ele conhece o tema e seria de extraordinária importância para mim inclusive tendo em vista sua capacidade de circular e de dialogar”, afirmou Jobim, acrescentando que desde a época da Assembleia Constituinte, em 1987, Genoino, já demonstrava o grande conhecimento sobre os temas da área de defesa nacional.

Genoino é réu no processo do mensalão, suposto esquema que envolvia pagamentos a deputados em troca de apoio ao governo e que estourou durante o segundo mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva . O deputado petista na época era presidente do PT e teve que renunciar ao cargo após o escândalo vir à tona. Desde então, perdeu espaço e visibilidade. O deputado também fez parte da resistência à ditadura militar, participando da luta armada durante a década de 1970, tendo sido preso e torturado. Chegou a ser cotado para assumir o Ministério da Defesa assim que o PT chegou ao poder, em 2002. Hoje é primeiro suplente na bancada do PT na Câmara dos Deputados.

*Com informações da Agência Brasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG