Para Serys, se Executivo insistir em corte de R$ 8 bilhões, será difícil passar peça orçamentária no Congresso

O Congresso está disposto a negociar mais com o governo federal sobre cortes no Orçamento, desde que haja maior moderação do Executivo no contingenciamento, diz a relatora-geral Serys Slherassarenko (PT-MT). Mas, se o governo anunciar corte de R$ 8 bilhões já na peça orçamentária, a matéria terá grandes dificuldades em ser aprovada, diz ela. “Se confirmado esse corte, é difícil de passar”, diz.

“Não estamos com disposição para negociar, há boa-vontade do Congresso, por isso vamos colocar a questão ao contrário: quanto menor de R$ 8 bilhões (for o corte), mais fácil fica a batalha.”

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou pela manhã que tem mantido conversas com Serys para rever a decisão da Comissão Mista, que aprovou relatório de receitas ontem prevendo acréscimo de R$ 4,7 bilhões no valor do próximo ano. Bernardo se disse “contrariado” com a decisão do Congresso.

Mais cedo a senadora se reuniu com líderes das bancadas da Casa para negociar uma nova metodologia para o cálculo do teto das emendas dos Estados. Ficou definido que os entes da federação vão ter direito à média dos valores dos ltimos três anos.

As bancadas dos Estados devem apresentar até o meio-dia de amanhã os relatórios com prioridades para investimento. Serys quer concluir seu relatório no sábado, para que na semana que vem ele possa ser posto em votação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.